Gente Buscando Gente

Livro sobre a luta da mãe de desaparecido é lançado na Bahia



O Comitê Baiano pela Verdade (CBV) lança, na próxima quarta-feira (19/6), em Salvador, o livro “Onde está o meu filho?”, que conta a história do desaparecimento do estudante Fernando Augusto Santa Cruz Oliveira, durante a Ditadura Militar (1964-1985). O lançamento acontece na Faculdade de Direito da Universidade Federal da Bahia (FDUFBA), no bairro da Graça, a partir das 9h.

Líder estudantil pernambucano, Fernando Santa Cruz participava da luta contra o regime e desapareceu junto com Eduardo Collier Filho (conhecido como Duda Collier), no Rio de Janeiro, em 23 de fevereiro de 1974. Duda estudava na FDUFBA e foi um importante nome no movimento estudantil do estado.

O livro “Onde está meu filho?” narra a desesperada luta da mãe de Fernando, dona Elzita, que há quase quatro décadas busca uma resposta para o sumiço do filho. O trabalho é dos autores Chico de Assis, Cristina Tavares, Jodeval Duarte, Gilvandro Filho, Nagib Jorge Neto e Glória Brandão.

“Conheço a trajetória de Fernando e a luta pela de Elzita em busca do filho. O lançamento de livro sobre episódios que continuam sendo um mistério é importante. A nova geração toma conhecimento desse período recente, das atrocidades e violência que os militares lançavam sobre os opositores”, afirmou Diva Santana, membro do CBV.

Diva acredita que a publicação pode, também, promover condições para que o Estado busque uma resposta para as famílias dos desaparecidos no regime. “É preciso que o Estado diga a dona Elzita onde está o corpo do filho dela para que ela possa enterrá-lo”, completou Diva, que é irmã de Dina, também desaparecida durante a ditadura.

A cerimônia de lançamento na Bahia vai contar com a presença de Chico de Assis, um dos escritores, e do irmão de Fernando Santa Cruz, o vereador de Olinda Marcelo Santa Cruz. O livro, editado pela Companhia Editora de Pernambuco, vai ser vendido e autografado no local.

Durante o lançamento do livro será exibido, também, um filme de dona Elzita, que hoje tem 99 anos, e prestada uma homenagem aos outros estudantes da FDUFBA que lutaram contra a ditadura e pagaram com a própria vida.

Além de Duda, também foram vítimas do regime os estudantes Dermerval Pereira e Rosalino Souza – esse último ex-presidente do Diretório Acadêmico Ruy Barbosa -, ambos mortos na Guerrilha do Araguaia.