Gente Buscando Gente

Mãe relembra dor de Belfort com sumiço da irmã



Na data em que se completou nove anos do desaparecimento de Priscila Belfort, Jovita recordou o sofrimento pela filha e o impacto do ocorrido na carreira de Vitor



Ao longo dos 16 anos de sua carreira, Vitor Belfort já somou 21 vitórias e dez derrotas no MMA. Mas o golpe mais doloroso de sua vida aconteceu fora do octógono e jamais foi curado. No próximo dia 19, o brasileiro volta a lutar contra Michael Bisping, no UFC São Paulo. Há poucos dias de voltar ao octógono, neste 9 de janeiro de 2013, completam-se nove anos do desaparecimento de sua irmã, Priscila Belfort. Dona Jovita relembrou a época do sumiço da filha e a dor do lutador.

- Olha, é inevitável não falar sobre isso. Infelizmente, faz parte da nossa história. A Priscila sumiu no dia 9 de janeiro e ele lutou logo depois no mesmo mês. Eu não sei como ele fez aquela luta. Mas ele é muito profissional no que faz. A sorte dele é essa. Tanto que ele sempre levantou essa bandeira. Isso é esporte - recordou Jovita, se referindo a luta de Vitor contra Randy Couture, em 31 de outubro daquele ano, onde Belfort venceu o americano e se tornou campeão dos meio-pesados do UFC.

Após conquistar o título, Vitor logo perdeu o cinturão para o próprio Randy, em agosto de 2004 e início uma fase ruim de quatro derrotas consecutivas, que só acabou com a vitória sobre Yoshiki Takahashi, no PRIDE, em 2006. Jovita considera que o acontecido com Priscila Belfort influenciou no sucesso de Vitor.

- Depois que ele lutou a primeira vez, ainda estávamos em choque. Nós sofremos muito e sofremos até hoje. Ele vê isso muito friamente. Numa primeira etapa, ele se superou, ele caiu e depois se ergueu novamente. O desaparecido precisa da sociedade. Vitor precisa que a foto apareça pelo mundo. Hoje, meu filho reverteu tudo isso numa luta física e mental. Ele luta pelos desaparecidos. Graças a Deus, ele tem uma familia ótima, que foi o que deu força a ele - concluiu a mãe.


Em janeiro de 2012, no UFC 142, que aconteceu no Rio, onde Vitor Belfort finalizou Anthony Johnson, o lutador estampou uma foto de Priscila em seu córner. A jovem desapareceu em janeiro de 2004 e a família nunca recebeu qualquer informação sobre ela após o ocorrido. Em 2007, Elaine Paiva da Silva confessou ter assassinado Priscila em troca de dinheiro. Porém, a busca pelo corpo da jovem jamais foi concluída.

*Com informações do site Lance Net.