Gente Buscando Gente

Mais uma criança é encontrada morta em Minas

Mais um desaparecimento de criança terminou com o fim trágico em Minas Gerais. Uma garota de 11 anos, que desapareceu na última quinta feira, quando foi buscar o irmão na escola, em Araxá, na Regiao do Alto Paranaíba, foi encontrada morta em um local ermo. Ainda não existem suspeitos da autoria do crime.

A garota Ana Clara Nunes da Mata foi vista pela última vez às 16h45 de quinta feira. Como fazia todos os dias, estava em um centro de convivência onde crianças aproveitam a tarde para estudar, dançar, ouvir música, entre outras atividades. No fim do dia, ela saiu do local para buscar o irmão não escola.

“A família dela mudou para a cidade há cerca de sete meses e sempre tinha o costume de fazer o trajeto. Na quinta feira, ela não chegou até a escola”, explica o delegado regional de Araxá. Heli Andrade.

No início da tarde desta terça feira, alguns trabalhadores viram o corpo da menina em um lote e acionaram a polícia. “O corpo foi encontrado próximo ao distrito industrial. Pelo que vimos, a pessoa tentou queimar o corpo. Parte do crânio e o rosto foram queimados”, diz o delegado. Segundo ele, ainda não dá para dizer se houve violência sexual.

Apenas exames feitos no Instituto Médico Legal (IML) da cidade poderão comprovar os abusos. Desde o desaparecimento da garota, a polícia começou a fazer buscas na cidade, porém, ainda não há pistas. “Estamos trabalhando com todas as direções. O mais importante é conseguir informações da população para tentar chegar a autoria. Por enquanto, não temos nenhum suspeito” diz o delegado.

Pais em choque

Ontem, familiares pareciam não acreditar na notícia da morte de Ana Clara. O pedido de todos era único: por justiça. "Os pais não estão conseguindo abrir a boca para falar. É inacreditável o que aconteceu. Esperamos que o culpado seja punido. Quem fez isso não tem alma nem coração. Destruiu uma família humilde que nunca fez nada contra ninguém", desabafou indignada a tia da vítima, Maria Aparecida da Silva, de 44 anos.

De acordo com a mulher, Ana Clara era a mais velha de dois irmãos e sempre foi estudiosa e tímida. "Ela era apegada à família. Quase não saía de casa, mas tinha o costume de buscar o irmão após as aulas dela", disse Maria.


* Com informações do Jornal Super Notícia e do Jornal Vale do Aço