Gente Buscando Gente

Maior hospital pediátrico do país participa de mobilização em defesa de crianças desaparecidas


O Hospital Pequeno Príncipe é apoiador do Conselho Federal de Medicina (CFM) na “Semana de Mobilização Nacional para a Busca e Defesa da Criança Desaparecida”, que será realizada de 25 a 31 de março. Na abertura, nesta quarta-feira (25), às 9h30, a instituição receberá integrantes do CFM para chamar a atenção dos médicos sobre procedimentos que auxiliam na busca por crianças e adolescentes desaparecidos.

Por ser a maior instituição de saúde exclusivamente pediátrica do Brasil, o Pequeno Príncipe foi o escolhido para representar os demais hospitais e ainda por atuar na proteção de crianças e adolescentes. “Há 95 anos, buscamos desenvolver ações que garantam melhores condições de vida aos pequenos pacientes. Apoiar uma ação como essa faz parte da nossa missão e, agora, os médicos também terão a oportunidade de mostrar que estão preocupados com o tema ‘crianças desaparecidas’”, destaca o diretor-técnico do Hospital e conselheiro estadual do CFM, Donizetti Giamberardino Filho.

Orientação aos médicos
Em 2014, o CFM publicou uma recomendação específica alertando médicos e instituições de tratamento clínico, ambulatorial ou hospitalar, para que, ao atender uma criança, fiquem atentos a procedimentos que auxiliam na busca por crianças desaparecidas. Dentre as orientações, estão:

– Observar como a criança ou adolescente se comporta com o acompanhante. Se demonstra medo, choro ou aparência assustada.
– Observar se existem marcas físicas de violência, como cortes, hematomas ou até abusos.
– Solicitar a documentação do acompanhante. Conforme a resolução do CFM, “a criança deve estar acompanhada dos pais, avós, irmão ou parente próximo. Caso contrário, pergunte se a pessoa tem autorização por escrito”.
– Desconfiar se o acompanhante fornecer informações desencontradas, contraditórias ou não souber responder perguntas básicas.

A recomendação na íntegra está disponível neste endereço eletrônico.



Semana de Mobilização Nacional para a Busca e Defesa da Criança Desaparecida

Além da ação no Hospital Pequeno Príncipe, o CFM fará um ato simbólico na Boca Maldita, no centro de Curitiba, a partir das 15h. A capital paranaense é reconhecida como exemplo nacional e internacional na busca de crianças. O Serviço de Investigação de Crianças Desaparecidas do Paraná (Sicride) tem números de resgate superiores a 93%, muito diferente da realidade brasileira como um todo, que é de 15%, de acordo com relatório da Organização das Nações Unidas (ONU). Por ano, são registrados em média 50 mil casos. Estima-se que quase 250 mil estejam desaparecidas no país.

O segundo evento está confirmado para o dia 31 de março, em São Paulo. A ação tem parceria com a Associação Brasileira de Busca e Defesa a Crianças Desaparecidas (ABCD), conhecida como “Mães da Sé”. As entidades promoverão um ato público por políticas públicas de enfrentamento ao desaparecimento de crianças e adolescentes na Praça da Sé, no centro da capital paulista.


Fonte: Nana Martins