Gente Buscando Gente

Menina desaparecida em Mateus Leme pode estar no Norte de MG

Mensagem enviada ao avô da criança informou que menor estava no interior da cidade; Polícia Militar realiza rastreamento no município

Policiais militares de uma cidade do Norte de Minas realizam intenso rastreamento, na manhã desta quinta-feira (16), em busca de pistas da menina Keyla Kelly Gonçalves Neves, de 7 anos, que desapareceu em Mateus Leme, na região metropolitana de Belo Horizonte, há mais de um mês. De acordo com uma mensagem enviada para um familiar da criança, ela estaria no interior do Estado.

O avô de Keyla, José Aparecido, informou à reportagem de O TEMPO que, há alguns dias, recebeu essa pista pelo telefone celular. “Me mandaram uma mensagem, mas não sei se é verdade. Já surgiram vários boatos”, explicou o homem.

A cidade indicada na mensagem, que não será divulgada para não atrapalhar as investigações da polícia, fica próxima a Montes Claros.

“Recebemos a informação que ela teria embarcado em um ônibus em Montes Claros com um casal. Ela teria passado por Brasília de Minas, e depois veio para o nosso município”, explicou o sargento Charles Mendes Almeida.

A busca pela menina na cidade começou nessa quarta-feira (15). Além de procurar em postos de saúde e hospitais, policiais também estão em diligências em cidades vizinhas.

“Estamos com fotos e cartazes. Temos que frisar que, por enquanto, é apenas um boato. O rosto da criança é muito comum e pode confundir”, afirmou o militar.

A reportagem procurou o delegado que está à frente das investigações, Fábio Moraes Neto, mas, por meio da assessoria de Polícia Civil, ele disse que não vai comentar o caso.

Relembre

No dia 13 de setembro, Keyla Kelly estava na casa da avó, no bairro Jardim Alah, em Mateus Leme, quando disse que ia à casa da tia, localizada na mesma rua, a cerca de 50 metros de distância. Depois disso, ela não foi mais vista. Ela usava uma blusa cor-de-rosa estampada com uma boneca, calça de ginástica preta e cinza e um chinelo cor de rosa.

Qualquer informação sobre o desaparecimento de Keyla Kelly pode ser passada por meio do Disque-Denúncia 181. Não é necessário se identificar.


*Do Jornal O Tempo.