Gente Buscando Gente

Cadastro de pessoas desaparecidas em Santa Catarina está disponível no Sinesp Cidadão

Estado é o primeiro a incluir cadastro de desaparecidos no aplicativo


O cadastro de pessoas desaparecidas em Santa Catarina está disponível desde a semana passada para consulta no aplicativo Sinesp Cidadão. Agora, os quase 2,5 milhões de usuários da ferramenta no país, além de consultarem placas de veículos e mandados de prisão em aberto, também podem ajudar a identificar o paradeiro dos cerca de 2.000 desaparecidos no Estado. Santa Catarina sai na frente no país a usar o aplicativo na tentativa de localizar desaparecidos. Entre eles, a menina Emili Miranda Anacleto, de dois anos. A criança foi vista pela última vez no dia 21 de maio, quando seguia com o pai para Barra Velha. O corpo de Alexandre Anacleto foi encontrado carbonizado dentro do próprio carro, dois dias depois e Emili nunca mais foi vista.

“Basta digitar o nome Emili Miranda no aplicativo que todos os casos de pessoas desaparecidas com este nome vão aparecer. Data, onde desapareceu e fotos da pessoa. Em alguns casos, ainda não tem foto, mas estamos tentando contatar as famílias”, explica o delegado Wanderley Redondo, titular da DPPD (Delegacia de Polícia de Pessoas Desaparecidas). O aplicativo do Sinesp Cidadão está disponível no Google Play, na App Store e Windows Store. Ou seja, pode ser baixado em qualquer celular que opere nos sistemas Android, iOS e Windows.

O delegado Redondo aposta que com o cadastro de desaparecidos disponível no Sinesp Cidadão, a unidade conseguirá diminuir o número de pessoas cujo paradeiro permanece desconhecido no Estado. “Com certeza, vai ajudar no nosso trabalho estas informações estarem disponíveis num aplicativo que tem 2,5 milhões de usuários, conforme estimativa do Senasp (Secretaria Nacional de Segurança Pública).

Desde o lançamento, em 2013, o Sinesp Cidadão já teve mais de 100 milhões de consultas. Com o uso da ferramenta, 87 mil veículos roubados foram recuperados e 4.400 foragidos da Justiça, presos no Brasil.


*Do Jornal Notícias do Dia.