Gente Buscando Gente

Protesto em BH cobra resposta sobre casos de pessoas desaparecidas


Parentes de pessoas desaparecidas realizaram um protesto, na manhã deste sábado (23,) na Praça 7, no Centro de Belo Horizonte. O objetivo foi cobrar da polícia e da Justiça explicações sobre os casos de desaparecimento que assolam várias famílias em Minas e no Brasil.

De acordo com uma das organizadoras do movimento, Priscila Ágata, o protesto foi organizado por um grupo de voluntários que presta apoio a essas famílias. “Pedimos socorro às autoridades porque nós, voluntários, sentimos muito por esses familiares”, disse.

Durante o manifesto, os participantes recolheram assinaturas para criar um Projeto de Lei de Iniciativa Popular em favor das pessoas desaparecidas no Brasil. Só em Minas, a meta é conseguir pelo menos 45 mil assinaturas.

Famílias sofrem pela ausência de respostas

Pais que têm filhos desaparecidos também participaram do protesto. Com camisas e cartazes com fotos das crianças, eles reclamam da falta de respostas e lamentam ter que conviver com a angústica de não saber como os filhos estão.

É o caso de Leandro Campos, de 29 anos, pai de Emilly Ketlen Ferrari. A menina desapareceu na rua de casa, em Rio Pardo de Minas, no Norte do Estado, no dia 4 de maio de 2013. Na época, ela tinha 7 anos.

Diversas hipóteses já foram levantadas pela Polícia Civil, mas, até hoje, nenhuma foi confirmada. “A cada dia que passa as chances de encontrá-la viva diminuem. Mas eu tenho esperança de que vou ver minha filha novamente”, afirmou.


Joseli de Souza Melo, mãe de Bruna Marques Melo, desparecida no dia 23 de outubro de 2009, aos 4 anos, em Frutal, no Triângulo mineiro, também participou do manifesto. Ela disse que, desde então, a rotina nunca mais foi a mesma. “Passo o dia tentando buscar informações ou pesquisando na internet. Além disso, eu só choro”, afirmou.

Angustiada, Joseli diz que busca forças para seguir a vida nos outros quatro filhos, incluindo o irmão gêmeo de Bruna. “Às vezes sinto vontade de abandonar tudo, mas aí vem meu filho e diz que me ama. Quero mostrar para eles que eu não estou parada”, frisou.

*Do Jornal Hoje em Dia.